Debates e técnicas de manipulação

 

Entre idas e vindas do blog (mais do que eu gostaria), aprendi várias coisas quando deixei a internet de lado para cuidar de minha vida particular. Aprendi como faz bem não participar de discussões na internet, quanto as pessoas são paspalhas, tansas e idiotas e como é fácil perder tempo com discussões que não irão lhe levar a lugar algum.

Mas refletindo mais sobre o tema discussões, e no tempo que nós perdemos discutindo, é fácil perceber um padrão de comportamento e táticas de manipulação que as pessoas usam nos debates. Se você gosta de debater, discutir em grupos do Facebook ou naquelas rodas idiotas da firma, onde os paspalhões ficam parecendo pavões tentando mostrar para as garotas quem é mais inteligente achando que elas vão arrancar as roupas só de ver como o cagalhão argumenta bem, então este post pode ser interessante.

O ego

O ego é o ponto crucial de qualquer debate, precisamos entender que quando discutimos não estamos estabelecendo um contato a nível intelectual mas primeiramente emocional. Quando você está discutindo com alguém despejando verdades achando que a pessoa está recebendo aquelas informações em nível intelectual, você na verdade está ferindo o ego dessa pessoa e ela reagirá a contento, adotando diversos mecanismos de defesa como se de fato estivesse sendo agredida fisicamente.

Para discutir intelectualmente com alguém você precisa ter absoluta certeza que a conexão estabelecida pela outra pessoa também é a nível intelectual, o que raramente acontece. Isso porque as pessoas possuem pouco ou nenhum controle sobre o próprio ego, são educadas a levar as coisas pelo lado sentimental e acabam reagindo por impulso. Não recebem uma educação emocional, sendo criadas com hostilidade e aversão a outros seres humanos, ensinadas desde cedo em casa que o vizinho é um canalha, que o chefe é explorador, que o colega é interesseiro, etc. É por isso que tantas pessoas morrem em discussões idiotas no trânsito, passam mal e morrem ao elevar a pressão arterial por causa de uma discussão corriqueira com algum familiar, que acham que o mundo vai acabar quando recebem um feedback negativo, que tratam mal um cliente que faz alguma crítica, etc.

Prova disso é que existem três frases raríssimas que você nunca deve esperar ouvir num debate (conte nos dedos quantas vezes você ouviu cada uma delas em toda a sua vida):

- A informação que você me passou mudou minha opinião. Eu estava completamente errado.

- Agora que você me explicou isso, talvez todos os cientistas ganhadores do prêmio Nobel realmente entendam mais de ciência do que eu. Estava enganado.

- Sou um completo ignorante sobre esse assunto, portanto prefiro não emitir minha opinião.

Outra prova que o ego sempre fala mais alto são nas entrevistas, veja que se você abordar e entrevistar uma pessoa na rua, a maioria delas terá alguma opinião formada sobre coisas que não possuem qualquer entendimento:



Portanto, sempre que você for entrar num debate trabalhe com a real possibilidade de que aquilo não lhe levará a lugar algum, e que via de regra ficarão dois (ou mais) paspalhos tentando provar quem tem a razão e é mais inteligente, não raro tentando manipular o interlocutor para alcançar esse objetivo.

Vou alistar abaixo as 5 técnicas de manipulação que mais enfrentei em debates:

Técnica 1: Converter uma afirmação simples e específica numa afirmação exagerada e genérica

Essa técnica é muito usada pelos vitimistas, políticos, corruptos, etc, e serve para demover o foco de uma argumentação para apelar ao vitimismo, ou ainda para mostrar que o problema que você está mostrando é "normal".

Exemplos: "eu não te amo" = "ninguém te ama" / "temos um problema" = "temos muitos problemas" / "isso não está bom" = "nada do que eu faço está bom" / "fui roubado" = "todos estão sendo roubados a cada minuto" / "você cometeu um erro" = "você vive me criticando o tempo todo de um jeito insensível" etc.

Técnica 2: Fazer comparações a Hitler


Essa técnica é muito flexível, pois Hitler era um cara com várias ocupações. Ele fazia tudo, desde comer e pintar paisagens até atacar o mundo. Se você por exemplo argumentar que dormir é bom, algum manipulador de debates pode dizer que Hitler dormia também. Sim, isso é tão ridículo quanto, numa discussão sobre gêneros, apontar que Hitler era homem. E assim fazem as feministas. Pode ter certeza que quando uma feminista estiver perdendo um debate ela invocará o machismo e exemplo de Hitler e atribuirá à você para tentar desconcertá-lo.

Exemplo: A moda agora é discutir se Hitler e o nazismo eram de direita ou esquerda, para poder usar tal manipulação em debates ao se discutir propostas dos dois lados.

Técnica 3: Defendendo o ilógico absurdo

A técnica de defender o absurdo consiste em fazer comparações ilógicas, não-relacionadas e imbecis, contrariando todos os fatos e estatísticas. Essa técnica é util porque deixa o oponente atordoado, já que seu cérebro não consegue processar tão esdrúxula comparação.

Exemplo: você defende que voar é seguro, com dados e estatísticas, e alguém diz que nadar também parece seguro mas você pode morrer afogado se comer antes de nadar, logo, não é tão seguro assim. Enquanto seu cérebro tenta processar essa comparação e se desfazer do nó, seu oponente já saiu da sala proclamando vitória no "debate".

Técnica 4: Falar sem parar 

Pessoas que falam muito e expressam muitas opiniões incrivelmente tendem a parecer mais inteligentes, mesmo que não dominem nenhum assunto a não ser BBB e novela. Falastrões são vistos pelos outros como "comunicadores", "simpáticos", "extrovertidos", "autênticos", "antenados" etc, mesmo que falem merdas como "esse jogador corre tanto que parece ter dois pulmões".

Curiosamente, esse sistema é muito usado pois o pior que pode acontecer a eles é acabar nos Trending Topics do Twitter e ganhar ainda mais fama. É por isso que muitos apresentadores de televisão, youtubers idiotas e "comentaristas" estão lá e nós não passamos de anônimos.

Técnica 5: Acusando o oponente de machismo (ou "insensibilidade")

A versão "light" do argumento ad-hominem, ou o famoso "xingar com estilo", é taxar alguém de insensível e machista, especialmente se for homem. Qualquer discussão com uma mulher ou homem feminista pode descambar para "machismo" se ele ou ela não concordar com sua opinião. Você pode ser machista até numa discussão sobre matemática: experimente elevar um pouco o tom da voz e dizer friamente que você domina o assunto e não aceita discussões. Automaticamente você irá virar machista com dívida histórica.

Conclusão

Discutir na internet pode ser interessante caso você queria apenas rir ou não tenha nada para fazer. Mas não espere resultados positivos, mudar o pensamento de alguém ou ser extremamente valorizado pelo que você pensa. E saiba que em discussões pessoais, tentarão lhe manipular de formas baixas. Proteja seu ego e esteja alerta. Mas não tenha muitas expectativas sobre a inteligência humana. Somos todos um pingo de merda boiando num imenso cagalhão.

Comentários

  1. Doutrina de volta! Obrigado, confrade!

    ResponderExcluir
  2. Volte com força total! Esperamos pelo livro! Avante com nosso valor!

    ResponderExcluir
  3. Mais especificamente o perfil da mulher. Grande vantagem tem o homem que conhece essas técnicas (e qdo a mulher as aplica) durante um relacionamento. Tem a oportunidade de se mostrar frio e uma fortaleza diante da mulher (desapego).
    Debater com pessoas com este perfil descrito é mais burrice e perda de energia do que socar a cabeça na parede repetidas vezes.
    Nós homens precisamos sempre lembrar do valor e poder de coerção do silêncio. Além da famosa frase: "Nunca discutas com um idiota, ele rebaixa-te até o nível dele e vence-te em experiência".

    ResponderExcluir
  4. doutrina grande mestre espero que volte a postar novamente

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Mulheres rodadas: DIGA NÃO

Mangina - O que é? - Parte 1

Como lidar com um término de relacionamento