O vampirismo nas relações amorosas

Um guia pra identificar se somos “sugadores de energia” ou se estamos sendo sugados


 
Por Sheik Ghalib e Doutrinador

Sabe aquela garota que só reclama? Ou aquela mulher que não desgruda do seu pé? Aquele amigo chato? Esses são os 'vampiros' que roubam nossas energias no dia-a-dia. Reconheça os 12 tipos de vampiros(as) e no final 12 dicas de como se defender. 

Quando se fala em vampiros, a imagem que nos vem à cabeça é a do Conde Drácula ou se você é uma adolescente a do Edward (do fraco filme Crepúsculo). Porém devemos ficar atentos e ter cuidado porque existe um tipo de vampiro, feito de carne e osso, que vive ao nosso lado. Eles são os “vampiros de energia”, pessoas que convivem diariamente conosco e podem fazer um grande estrago em nossas vidas.
Esse vampiro pode ser aquele amigo chato que você não consegue dizer não, pode ser um colega no trabalho que parece te ajudar, mas só atrapalha, pode ser você mesmo ou pode ser até sua namorada ou esposa.


Como identificá-los? É fácil! Sabe quando você conversa ou discute com uma pessoa e, ao se afastar, sente-se cansado, mal-humorado ou deprimido de repente e não consegue descobrir o porquê? Os vampiros de energia, na maioria das vezes, atuam inconscientemente, ou seja, sugam a energia das suas vítimas sem saber. Isso ocorre porque eles não conseguem absorver energia de fontes naturais (espirituais, vitais, da natureza, etc.), e ficam desequilibradas energeticamente. Precisam então, encontrar outras fontes e as mais próximas são as pessoas. Na verdade, quase todos nós, num momento ou outro de nossas vidas, quando nos encontramos em um estado de desequilíbrio, acabamos nos tornando Vampiros de Energia alheia.


Frustração, baixa auto-estima, ressentimento, complexo de perseguição e de vítima, insegurança e, acima de tudo, o egoísmo são estados psíquicos que fazem com que a configuração energética da pessoa se torne desequilibrada, afetando negativamente outras pessoas, roubando-lhes assim sua energia vital.


Vampiros estão ligados ao nosso imaginário ancestral, sempre associados a “sugar” a vítima. O vampirismo que discutiremos aqui seria a absorção, de energia física, psíquica, emocional, vital, etc de outra pessoa, e está muito mais próximo e presente em nosso dia-a-dia do que costumamos pensar. O vampirismo de energia pode vir de amigos, vizinhos, colegas e familiares, mas nos concentraremos mais aqui no vampirismo nas relações amorosas. Além da intensidade dos sentimentos, existem pessoas que, por carências e falta de auto-estima, inconscientemente, cometem falhas, erros, durante sua convivência. Essas falhas, relacionadas com a vida sentimental de cada um, provocam vários prejuízos, não somente na vida conjugal e sentimental, como também na vida financeira em geral. É muito importante aprendermos tudo sobre a mente humana para que evitemos constrangimentos e sofrimentos num relacionamento.


Existem doze tipos de pessoas que sugam a nossa energia espiritual, que nos deixam para baixo, criando em nós a depressão, o desânimo e a falta de estímulo para lutar pela nossa felicidade. O importante, no momento, é entendermos todas essas situações e termos o cuidado para não julgarmos ninguém a nossa volta. Todo julgamento que fazemos de alguém, mesmo que este alguém esteja errado, acaba voltando como reflexo para as nossas vidas.


As pessoas a nossa volta não têm culpa, elas também sofrem com todas essas situações e também podemos ser “sugadores” de energia sem saber. Estamos neste mundo para evoluir, crescer cada vez mais. Além disso, somos todos sugadores da energia alheia sempre que desenvolvemos sentimentos não construtivos e permanecemos neles. Retiramos energias vitais de harmonia de tudo e todos que estão ao nosso redor sempre que tivemos um pensamento ressentido ou gesto de contrariedade, violência, julgamento mordaz, ironia...


TIPOS DE VAMPIRISMO AMOROSO

1. VAMPIRISMO EMOCIONAL



É o tipo de indivíduo que durante a infância não teve o amor e o carinho dos pais, tornando-se, ao longo da vida, uma pessoa altamente carente de afeto e dependente da atenção dos outros, chegando a se programar inconscientemente para atrair uma outra pessoa com o mesmo problema que ela. O Vampiro Emocional tem como característica aproveitar-se desta situação e começar a cobrar amor, carinho e atenção quase todo o tempo. Com isto, suga a energia vital do outro e que não sabe defender-se, nem dizer não. Com o passar do tempo, a vítima tende a sentir-se aprisionada pela sensibilidade cada vez que se identifica com o vampiro.

2. VAMPIRISMO SENTIMENTAL




Este tipo de vampiro, durante a adolescência, sofreu algum bloqueio no início da vida sentimental, tendo sido rejeitado por várias vezes, causando com isso trauma em relação ao sexo oposto. Neste caso, a pessoa sente a necessidade de demonstrar ao outro, de forma exagerada, todo o amor que sente. Apaixona-se com muita facilidade, apresentando ciúme bastante doentio, e provocando alguns transtornos à outra pessoa. Traz sempre latente um medo de perder o “amor” do(a) companheiro(a), sufocando-o(a) de paixão, desconfiança, insegurança e medo de traição. Controla, mesmo que inconscientemente, direta ou indiretamente, cada passo da vida da vítima, que se sente aprisionada e sufocada.

3. VAMPIRISMO SEXUAL






É o tipo de vampiro que se programa mentalmente para seduzir as vítimas, criando uma dependência sexual, isto é, envolve-se com pessoas carentes de amor e afetividade, fazendo com que se sintam muito bem no relacionamento sexual. Finge amar, faz promessas de casamento, de felicidade eterna, de constituição de uma família, mas, em seu interior, apenas satisfaz seu ego durante os momentos de prazer, criando em torno de sua vítima uma programação inconsciente de necessidade de sexo.


A vítima, mesmo sem sentir um amor profundo e não acreditando nas promessas, devido à solidão anterior ou ao medo de ficar só, passa a sentir falta dos atos sexuais deste vampiro e, assim, sente-se presa ao sexo. Durante o ato sexual, tudo é maravilhoso, porém, quando este termina, a vítima sente um vazio profundo pela falta do verdadeiro Amor Espiritual, que não lhe é transmitido. Daí, a vítima tende a desenvolver um processo de depressão e de tristeza em relação à vida e desenvolve uma forte crise existencial.


4. VAMPIRISMO FINANCEIRO




É o tipo de pessoa que sabe seduzir sua vítima e consegue fingir forte Amor Espiritual, sabendo preencher
o vazio e a ausência de afeto desta, conseguindo trabalhá-la como um grande profissional (ator) do amor.


Tem o poder de deixar a pessoa super apaixonada de um modo geral, porém, seu único desejo é realizar-se financeiramente e, através de sua habilidade emocional, finge estar passando por situações difíceis na vida financeira e que é uma boníssima pessoa. Finge também ser sofredor e amigo, conseguindo extorquir, de uma forma indireta e mansa, tudo o que se relaciona com o mundo financeiro e emocional — como, por exemplo, pedir um carro, por necessidade para trabalhar; um empréstimo, para pagar uma dívida de um suposto agiota ou, até mesmo, para um falso investimento, prometendo inclusive lucros e realização de grandes negócios.


Por outro lado, a vítima, mesmo não acreditando nas palavras dele, ou tendo medo de dizer “não” para não
perder este amor, vai, aos poucos, sem perceber, cedendo ao vampiro tudo o que tem, tudo o que possui, até ficar sem nada, na pobreza e, às vezes, vê-se obrigada até a trabalhar dobrado para manter seu status anterior.


5. VAMPIRISMO PSICOSSOMÁTICO




Trata-se daquele que procura vítimas sensíveis a doenças. Em geral, as vítimas são pessoas que já passaram por sérios problemas de doença na família. Por esta razão, acabam condicionando-se e criando uma supersensibilidade à dor, ao sofrimento das pessoas e às doenças. E, ao se envolverem com alguém que aparentemente demonstra amor, carinho e afeto, apegam-se facilmente. Neste caso, o Vampiro Psicossomático envolve suas vítimas criando doenças imaginárias e conseguindo, de forma indireta, chantageá-las emocionalmente, sobretudo gerando um ar de sofrimento na vida, deixando sua vítima com o seu sofrimento. A vítima, por sua vez, passa a sentir-se culpada. O amor que antes sentia pelo vampiro transforma-se em sentimento de culpa, e ela começa a se sentir presa espiritualmente, até conseguir vê-lo bem e com saúde. Mas, infelizmente, isto não ocorre, devido à necessidade do vampiro em permanecer sempre se utilizando deste artifício.

6. VAMPIRISMO CHANTAGISTA


É o tipo de pessoa que, não conseguindo amor e carinho suficientes para suas necessidades psicológicas,
apela com habilidade para a chantagem emocional, conseguindo transferir para suas vítimas (que são facilmente sugestionáveis) ameaças indiretas de que, caso ocorra alguma coisa no relacionamento ou na vida profissional, ou ainda se acontecer uma separação, será capaz de cometer suicídio, entregar-se às drogas ou ao álcool, e se anulará totalmente em relação a sua vida.


Neste caso, a vítima, como é sugestionada com facilidade (devido aos traumas de infância que já passou em sua família e por já ter presenciado várias situações deste tipo), passa a sentir medo de que tudo ocorra novamente.


Ao mesmo tempo em que também desenvolve um forte sentimento de culpa se os fatos realmente ocorrerem.
Pela insegurança que adquiriu e/ou absorveu, a vítima anula-se cada vez mais, ficando frágil e propensa a alguns contrastes, seja no pessoal ou no sentimental. Por conta disso, acaba atraindo doenças para si e sentindo-sepresa — talvez na crença de algum karma, aceitando este condicionamento e tendo uma vida totalmente infeliz, sem liberdade e presa ao destino.


7. VAMPIRISMO DA PAIXÃO






Este vampiro é uma pessoa que possui a habilidade de construir em torno de sua vítima um forte campo magnético de paixão. Isto é, tem a certeza e a programação de que todas as suas vítimas apaixonam-se facilmente, e atraem pessoas carentes de amor, com fortes lembranças de desilusões amorosas e que se apaixonam perdidamente pelo vampiro. Este tipo de vampiro faz parte daquele grupo de pessoas que possuem magnetismo, são muito envolvente e altamente seguras de si, demonstrando todas as habilidades e virtudes que a vítima gostaria de ter para ela.


Este Vampiro da Paixão aproveita-se dessas vítimas, deixando-as apaixonadas por completo, conseguindo satisfazer seu ego de superioridade. Geralmente trai, engana, finge amar sem demonstrar carinho, deixando-as cada vez mais e mais carentes de amor e, ao mesmo tempo, com muito medo de perder a pessoa amada.


Resumo: a vítima cai em depressão, sente-se solitária, não consegue esquecer o vampiro, vive só para ele e, ao mesmo tempo, desenvolve o medo de ficar só e nunca mais encontrar a pessoa certa na vida. Existem casos em que a vítima comete o suicídio ou anula-se completamente, vindo a perder totalmente sua autoestima e a saúde física.

8. VAMPIRISMO CONJUGAL




O Vampiro Conjugal é aquele que se sente bem e seguro quando vê sua vítima dependente dele em todos os aspectos. É o tipo de vampiro que costuma manter a sua vítima em cativeiro, isto é, mantendo-a dentro de casa, proibindo-a de sair, de trabalhar, de passear, de ter amizades, de estudar, enfim, de crescer como ser humano. O Vampiro Conjugal geralmente é uma pessoa insegura e tem medo de ficar só, e sua única segurança é ter a vítima aos seus pés, situação em que se aproveita de sua ignorância, fragilidade, dependência financeira e, indiretamente, provoca nela um sentimento de culpa em relação aos filhos, à família e à sociedade em geral. Graças à ação deste vampiro, a vítima acaba entrando em depressão profunda, perdendo a vontade de viver e a fé em Deus caso a tenha. Anula-se e aliena-se completamente do mundo, das coisas e das pessoas, tendo como conseqüência uma vida curta, devido às doenças que surgem.






9. VAMPIRISMO DA SUBSERVIÊNCIA



Este tipo de vampiro sempre está conseguindo sugar suas vítimas através de presentes, tentando agradá-las ao máximo em todos os aspectos, muitas vezes procurando passar a maior parte de seu tempo ao lado delas. Comete exageros na forma (sentido e intenção) de agradar e exige dela, na verdade, toda a atenção, carinho e amor como recompensa. Ao mesmo tempo, não consegue ser carinhoso por igual. Geralmente, a vítima é o tipo de pessoa acomodada com a vida em geral, por esta razão aceita todas as facilidades materiais, ao mesmo tempo em que necessita de carinho e amor, mas este, infelizmente, não consegue receber. A vítima perde o seu tempo de felicidade. Não consegue desligar-se do vampiro devido ao medo de perder a comodidade e a ostentação.


10. VAMPIRISMO DEPRESSIVO


É o tipo de vampiro que só vive lamentando-se da vida, sente-se sempre angustiado com o passado. Está sempre de mal com a vida, com os negócios, atribuindo o seu fracasso às pessoas, à falta de sorte e ao mundo em geral. Normalmente, as vítimas tentam modificar o sentimento negativo e depressivo do vampiro, mas, infelizmente, ele finge aceitar os conselhos — que na verdade não coloca em prática — e sempre volta a implorar ajuda da sua vítima, que sente sua energia sugada.


Quando alguém tenta, sistematicamente, fazer com que outra pessoa mude a forma de pensar e de ver a vida, como neste caso, e não consegue resultados, começa a sofrer de um cansaço mental extremo que a envolve e passa a sentir-se mal, com dores no corpo, a mente fica descontrolada — a ponto de perder toda a iniciativa pela vida e o vigor. Fica, por fim,  aprisionada, dependente do vampiro em função da pena que sente dele.

11. VAMPIRISMO DO APEGO




O Vampiro do Apego geralmente é uma pessoa com poder de sugestão, que consegue passar para a vítima sua força intelectual, profissional e todas as habilidades construtivas da vida. Em geral, a vítima é uma pessoa insegura em relação à vida e se apega com facilidade às pessoas, principalmente quando encontra em alguém elementos de segurança como suporte para ela.


O Vampiro do Apego sente-se muito bem quando vê sua vítima cada vez mais apegada e dependente dele,
satisfazendo-lhe o ego. A vítima apega-se mais e mais até o momento em que o próprio vampiro, sentindo-se
sufocado, desliga-se dela. E esta, por sua vez, sofre pela falta de atenção do(a) companheiro(a), crescendo, assim, o medo de ficar só e não ser mais feliz.




12. VAMPIRISMO DA OCIOSIDADE




Estes vampiros são pessoas que não gostam ou não conseguem segurança no trabalho e no dia-a-dia, mas que se acomodam facilmente. Geralmente, a vítima sente necessidade de evoluir, crescer, lutar, mas, infelizmente, por algumas razões —determinação, objetivo ou autoestima, dependem da pessoa que está a seu lado (conivente).


Em função de todos os fatores que se desencadeiam, a pessoa-vampiro não consegue reerguer-se na vida material e financeira, de certa forma tornando-se dependente, desenvolvendo na vítima uma angústia por sentir-se presa nesse círculo vicioso que não avança, mas desiste angustiada. A vítima entra em depressão por não conseguir realizar suas metas e objetivos, o tempo custa a passar, criando dentro de si uma forte ansiedade que acaba trazendo, conseqüentemente, prejuízos a sua saúde física e mental.


12 DICAS PARA COMBATER O VAMPIRISMO






1- Evite o contacto físico, pois em geral o vampiro adora falar tocando, pegando, quase colado em você.


2- Não faça o jogo dele(a), não se envolva em discussões intermináveis e sem propósito. Irritação desequilibra profundamente nosso campo energético. Não entre na onda de negatividade que está no ar, fuja das conversas fiadas e, por fim, conheça-se muito bem. Se você sabe os seus pontos fracos pode mapear por onde o vampiro tentará o ataque.


3- Não fique muito tempo com ele numa sala sozinho, ou em qualquer ambiente fechado. Tenha sempre mais pessoas por perto.


4 - Evitar se influenciar com as palavras do agente vampirizador. Seja positivo, não se puna, concentre-se no presente, não se aborreça e não o deixe sentir medo, tenha fé em você mesmo.


5 - Não fique toda hora se queixando ou se lamentando. Quando você reclama, tal qual um ímã, você atrai para si toda a carga negativa de suas próprias palavras.


Recarregue suas energias


6 - Uma dica para carregar a energia sugada pelos vampiros é o contato com a natureza, fazendas, bosques, florestas, parques e lugares com muito verde.




7 - Banhos de mar, cachoeira ou rios correntes são os mais indicados.


8 – Ter contato com o sol, respirar ar puro e andar descalço também são bons.


Cuide de seu lado espiritual de acordo com sua fé




9 - Meditar e cuidar do lado espiritual é bom também. Faça orações de acordo com sua fé e peça para a limpar espiritualmente, mas caso ore não seja egoísta: peça pelo vampiro também, para que ele encontre a paz. Caso você seja ateu, a mesma coisa: nada o impede de buscar o equilíbrio.




10 – Exercícios físicos, alimentação natural e noite de sono repousantes.


Cuidar da saúde e vitalidade físicas e buscar equilíbrio mental e emocional ajudarão no sentido de criar um campo energético forte e menos vulnerável às energias externas.


11 - Realize boas ações para com as pessoas, sendo prestativo e transmitindo apenas mensagens construtivas;


12 - Estipule sempre metas positivas e permaneça em mente com um bom objetivo para longo prazo, fazendo sempre votos progressivos de melhorar.


Além dessas dicas, outra dica valiosa é cultivar a compreensão e compaixão, que são estados de espírito absolutamente positivos e fortalecedores. Lembre-se que um vampiro, acima de qualquer maldade (90% deles operam de forma inconsciente), são pessoas em profundo desequilíbrio e que precisam de ajuda.


Caso essa pessoa não aceite ajuda e esclarecimento, muitas vezes afastá-lo do grupo é o melhor remédio.
Mas como nem sempre é possível afastar certas pessoas como um familiar, por exemplo, o melhor é tentar entender porque aquela pessoa está em nossa vida. Muitas vezes as pessoas problemáticas são verdadeiros instrutores na medida em que nos incentivam a cultivar a paciência, a compreensão, a criatividade ou o perdão. Mas em qualquer situação a conselho é sempre o mesmo: nunca se misture com a energia do vampiro. Mantenha sempre a calma, o bom humor e a positividade, que sem dúvida são nossas maiores defesas.


Querendo dominar outras pessoas, podemos sugar sua energia até esgotá-los, transformando-nos em verdadeiros vampiros energéticos, e muitas vezes, nem sabemos que estamos fazendo isso.


Por isso, antes de apontar o dedo para o próximo descobrindo vampiros em seus relacionamentos, faça um exame profundo em suas atitudes e observe se você não anda 'pegando emprestada' a energia dos outros também!


por Sheik Ghalib e Doutrinador

Comentários

  1. olha depois de ler seu post lembrei do livro de N.A. magnetismo nas relações socias. mais a diferença é que vc usou o termo vampirismo e N.A. magnetismo. ja meu colega usa o termo entrar na mente das pessoas.... mas confesso que ficou bom. gosto muito desse tema...

    ResponderExcluir
  2. não esperava encontrar esse tipo de coisa aqui.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Excelente texto!! estão de parabéns!!

    ResponderExcluir
  5. Impressionante, estou preso numa ex-relação por conta do vampirismo, ela aplica vários deles e tem vários traumas de infância sérios, nos quais não consegue superar, não faz nada para mudar e eu não consigo me desligar afetiva financeiramente por conta da culpa que sinto se parar de ajudar. Apesar disso, sei que ela passa maus bocados e que não é só "drama"(talvez um pouco de aumento). Só quem já passou sabe como é horrivel pensar que o fato de você deixar uma pessoa vai fazer com que ela se destrua completamente.

    ResponderExcluir
  6. Especificamente os seguintes tipos: 1, 5(apesar de que ela e realmente doente) 6, 10, 11. Essa coisa tá realmente me deixando com sesanção de prisão e exausto com a vida.

    ResponderExcluir
  7. Também não esperava encontrar esse tipo de testo aqui. Foi uma surpresa não muito agradável...

    ResponderExcluir
  8. Há pessoas tão presas no materialismo que qualquer texto um pouco mais subjetivo a pessoa não entende. Há tempos atrás falar que coisas que não vemos como o ar, viajar para outro planeta, energia eletromagnética você seria tratado como louco, mas hoje isso é algo muito comum.

    ResponderExcluir
  9. é um texto que foge da linha do blog, mas que não deixou de ser proveitoso

    ResponderExcluir
  10. Se você acha que a linha do blog é pegar mulher, foge sim.
    Não acho que fugiu nem um pouco a linha do blog, por não ser essa a linha que o blog segue.
    Ótimo post!

    ResponderExcluir
  11. Em próximo post você poderia mostrar "Como deixar de ser um vampiro"
    o/

    ResponderExcluir
  12. Pra deixar de ser um vampiro vale a mesma dica de como combater o vampirismo, pois se você tem contato com a natureza, faz exercícios físicos, se alimenta bem, está com a mente e o emocional em harmonia suas "baterias" energéticas estaram carregadas e você não sugará de ninguém.

    ResponderExcluir
  13. Paulo César Lio da Silva

    .GENTE ISTO É MUITO MAIS QUE 1 COMENTÁRIO OU ASSUNTO DE PAUTA: É A REALIDADE QUE TEMOS NO NOSSO COTIDIANO E SOCIEDADE HUMANA TODOS OS DIAS, POR ISTO TAMBÉM QUE A SOCIEDADE EM QUE VIVEMOS ESTA FICANDO CAÓTICA !!!

    ResponderExcluir
  14. quando eu escuto a palavra Vampiro oq me vem na cabeça é o tom cruise do filme Entrevista com o Vampiro, o cara pode ser um Metrossexual do caralho com pinta de viado, mais naquele filme ele foi mais macho e viril que qualquer vampiro da saga Crepusculo

    ResponderExcluir
  15. olha se tratando desse assunto tem um autor que aborda bem esse tema. eliphas levi, nessahan escreveu seu livro baseado nos estudos desse autor. se alguem quiser ir a fundo sobre esse assunto leiam mais,,,,aqui tem um link

    http://books.google.com/books/about/Grande_Arcano_O.html?hl=pt-BR&id=JIuL0JOcsKoC

    ResponderExcluir
  16. nossaaaa!!! Esse foi o melhor post de todos os tempos. Com tantas descrições fica difícil alguém não se encaixar em alguma. rs
    Mas muito bom mesmo!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Mulheres rodadas: DIGA NÃO

Mangina - O que é? - Parte 1

Como lidar com um término de relacionamento